Chovendo no molhado

21/07/2011 Postado em Crônicas, Textos

É esquisita a mania crescente de se criar datas comemorativas. Dia das mães e dia dos pais a gente entende. Um segundo aniversário por ano é apenas justo por termos sido postos no mundo. Dia das crianças eu não gosto desde que deixei de ser criança e parei de ganhar presente na data, mas vá, é compreensível. Dia dos namorados… claro. Mas aí o povo fica animadinho e lá vem dia da sogra, dia do avô, da avó, até que um dia teremos o dia da Ararinha Azul, a ser comemorado no mesmo dia do político honesto, porque ambos encontram-se sob grande perigo de extinção.

Ontem foi 20 de julho e definiram que era o dia do amigo. Honestamente, de todas, essa foi a data mais desnecessária e sem sentido que já vi. Compreendo que exista polêmica na afirmação, mas é verdade. Tirando as datas que são realmente tradicionais, sobra o que além de adulação ou invencionismo? Ou alguém comemora o dia do chefe todo lépido e fagueiro, supondo que uma data assim exista?

Amizade não carece de celebração. Um dia pra comemorar a existência de um laço tão único que livra alguém de ser xingado por sete gerações depois de acordar outra pessoa pra pedir uma ajuda ou simplesmente contar que levou um fora chega a ser leviano. Claro, juntar meia dúzia de pessoas numa mesa de bar não é amizade. O nome disso é comercial de cerveja. Por mais que seja difícil definir com propriedade o que é isso, a gente sabe reconhecer quando vê e, mais ainda, quando vivencia. É um complexo de coisas que inclui mas não se limita a um abraço silencioso nas horas difíceis e um palavrão cabeludo quando o outro se faz de vítima e precisa de um tranco pra sair do lugar.

Datar comemoração pra uma coisa que mói tempo e espaço como um novato esmerilha a caixa de marchas do carro da autoescola é idiota. Normalmente eu uso palavras menos duras nas coisas que publico, mas é um texto sincero sobre um sentimento mais que sincero, então, sim, é uma ideia idiota esse tal de dia do amigo. Porque dia do amigo é quando um amigo que não tem tempo pra se coçar liga pra dizer que tá vivo. Dia do amigo é quando um amigo muito querido, que lhe conhece há décadas, chega à cidade e reclama que você ainda não apareceu. É quando você liga pra saber de alguém e ouve um “p*, lembrei de você ainda agora!”

Isso é amizade. E isso não cabe num dia. Quer falar “feliz dia do amigo” pra sua turma, vá em frente. Mas meus amigos sabem quanto os quero bem. Eu não preciso dizer e sei que eles não precisam de um clichê pra saber.



Deixe seu Comentário